Após descobrir segredo de mãe falecida, filha ajuda 150 mil pessoas

http://iframe%20src=https://player.vimeo.com/video/15751299%20width=640%20height=360%20frameborder=0%20webkitallowfullscreen%20mozallowfullscreen%20allowfullscreen/iframe

http://iframe%20src=https://player.vimeo.com/video/15751299%20width=640%20height=360%20frameborder=0%20webkitallowfullscreen%20mozallowfullscreen%20allowfullscreen/iframe

Stephanie Moore ajudou discretamente centenas de mulheres na África. Em 2003, ela contactou Anastasia Juma,  fundadora da OLPS-Neema, uma organização de mulheres com AIDS.

Juma disse mais tarde para a filha de Moore, Nyla Rodgers, o que Moore havia dito: “Eu quero ajudar as mulheres jovens em sua comunidade, que estão perdendo seus pais por causa da AIDS, a se tornarem autosuficientes. Eu vi um especial sobre isso na TV, sobre como essas mulheres acabaram precisando ingressar na prostituição para sustentarem seus irmãos, e eu quero ajudar a evitar isso.

“Saiba que eu tenho uma filha e que, se alguma coisa me acontecer, espero que ela seja capaz de ser autosuficiente.”

Anastasia Juma (Screenshot/Storytellers for Good)
Anastasia Juma (Screenshot/Storytellers for Good)

Moore perguntou o que Juma necessitava para ajudar ainda mais as mulheres. Juma disse que sonhou com um programa para ensinar estas mulheres a abrirem seus próprios negócios.

Moore levantou o dinheiro para iniciar o programa dentro de duas semanas e continuou a apoiá-la até ter morrido de câncer de ovário, em 2005.

Mas antes de morrer, Moore disse a Juma que sua filha única, Rodgers, continuaria com seu apoio. Rodgers não sabia nada sobre a filantropia de sua mãe.

Rodgers e Moore eram muito próximas. Como filha única criada por uma mãe solteira, Rodgers sentiu que sua mãe era toda a sua família. Quando ela descobriu sobre a promessa de sua mãe, ela viu uma oportunidade de transformar sua dor em uma força positiva.

Rodgers viajou para Kisumu, no Quênia, para se reunir com Juma e com Bernard Olando, um jovem da mesma comunidade, que tinha sido patrocinado  por sua mãe.

Leia também:
•‘Ice Man’ em uma missão para comprovar o poder da mente
Pessoas que vivem somente de energia – Parte 3
Bebê declarado morto acorda após ser mantido por 15 horas a 12ºC negativos

Quando ela chegou, um grupo de pessoas a acolheu cantando “Amazing Grace”. A mesma canção cantada no funeral de sua mãe.

Olando lembrou a bondade de Moore: “Ela tinha a pureza de patrocinar alguém que ela nem conhecia. Ela só me viu em uma fotografia.” Ele foi para a escola com a ajuda de Moore e eles trocaram cartas ao longo dos anos.

Bernard Olando (Screenshot/Storytellers for Good)
Bernard Olando (Screenshot/Storytellers for Good)

Rodgers iniciou uma organização sem fins lucrativos chamada Mama Esperança, para continuar o sonho de sua mãe, e isso tem impactado mais de 150.000 pessoas em comunidades rurais africanas.

“O que estamos tentando fazer, é deixar a comunidade ter visão para plantar sementes de esperança”, disse Rodgers.

A organização ajuda as pessoas a construirem projetos sustentáveis. Eles criam hortas comunitárias, ensinam as mulheres a fazerem artesanato, gerirem empresas, fundarem escolas, instalarem projetos de água em locais do deserto, e muito mais.

Rodgers disse: “Estamos todos interligados e se nós podemos ajudar uns aos outros, nós devemos.”

Este vídeo apareceu originalmente em StorytellersForGood.com, onde você também pode encontrar muitos outros vídeos inspiradores.

 
Matérias Relacionadas