Antes da reunião da APEC, Pequim prepara sua segurança

Os preparativos de segurança em Pequim aumentaram muito em preparação para a reunião da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), a ser realizada entre 5 e 11 de novembro. Policiais fortemente armados estão patrulhando a cidade; exercícios antiterrorismo estão sendo realizados; pessoas que entram na cidade estão sendo rigorosamente inspecionadas; a venda de combustível e produtos químicos foi limitada.

A partir da segunda-feira (27), policiais militares foram postos de plantão no local onde ocorrerá a reunião, o lago Yanqi, no distrito Huairou, norte de Pequim, segundo a mídia estatal Beijing News.

Todas as entradas e saídas do salão de conferências e todas as vias de acesso ao local estão sendo guardadas por policiais militares. Agentes à paisana e policiais militares em carros de patrulha também fazem ronda 24 horas por dia perto do local da reunião, diz a reportagem.

O nível de segurança nos aeroportos, centros de transporte e principais estradas em Pequim também foi aprimorado. Recentemente, os passageiros que pegam ônibus de longa distância via Pequim têm suas identidades ou documentos verificados três vezes no caminho, segundo o jornal Oriental Daily de Hong Kong em 26 de outubro.

O terminal de ônibus do Grupo Qingdao Jiaoyun em Pequim confirmou que recebeu ordens da segurança pública para exigir que viajantes se registrem com os nomes reais desde 24 de outubro até 13 de novembro, e para aumentar os esforços de segurança.

Em 27 de outubro, Pequim realizou dois exercícios antiterrorismo no Centro Nacional de Convenções da China, no centro de Pequim, e no Centro Internacional de Convenção e Exposição do Lago Yanqi em Huairou, segundo o website da mídia estatal Diário do Povo.

Fu Zhenghua, o diretor da Secretaria de Segurança Pública de Pequim, comandou os exercícios, e prometeu garantir a segurança absoluta da reunião da APEC.

Anteriormente, a Administração da Segurança do Trabalho de Pequim também publicou um anúncio para parar de vender combustível a granel em postos de gasolina de Pequim de 1º a 15 de novembro. A produção e atividades de vendas de produtos químicos tóxicos e explosivos estão suspensas em Pequim entre 15 de outubro e 15 de novembro, diz o anúncio.

O Conselho de Estado também deu uma semana de férias para as organizações estatais, institucionais e sociais em Pequim de 7 a 12 de novembro, reduzindo assim a quantidade de atividade na cidade para a conveniência da APEC.

Durante o período, todas as escolas em Pequim, de creches a universidades, permanecerão fechadas, e os hospitais terão vários departamentos que abrirão apenas por metade do dia ao invés das 24 horas normais, informou a mídia estatal.

Para lutar contra a severa poluição do ar que atingiu Pequim três vezes no mês passado, Pequim limitará ou suspenderá a produção de 141 fábricas na região durante a reunião.

Enquanto isso, Pequim proibirá veículos com placas de numeração par e ímpar em dias alternados entre 3 e 12 de novembro, o que teoricamente aliviaria os graves engarrafamentos e melhoraria a qualidade do ar.

No entanto, as limitações impostas durante a reunião da APEC têm despertado queixas entre muitos internautas de Pequim.

“A vida dos chineses é muito barata. A vida das pessoas comuns tem de mudar quando Pequim sedia a reunião da APEC”, escreveu um internauta chinês no Weibo. “As pessoas são forçadas a usar transporte público devido às regras de placas dos veículos que visam a abrir as estradas para os líderes de outros países.”

“Com a reunião, a cidade começou a inspecionar o ambiente e o ar com uma semana de antecedência”, continuou o internauta chinês. “Sem a reunião, a vida e morte das pessoas são ignoradas!”

 
Matérias Relacionadas