Anonymous de Cuba hackeam página do Ministério das Finanças do regime cubano

O grupo declarou que tais atos em outros países são ilegais, mas diz que realizado contra a ditadura é um ato de "legítima defesa"

Por Alicia Marquez 

Os Anonymous de Cuba hackearam a página do Ministério das Finanças do regime liderado por Miguel Díaz-Canel neste domingo, conforme confirmado pelo grupo nesta segunda-feira.

A ministra do regime, Meisi Bolaños Weiss, como os trabalhadores do Ministério de Finanças e Preços de Cuba, denunciaram “fortemente” um ataque cibernético contra seu site na noite de domingo através das redes sociais.

“Denunciamos fortemente o hacking do site [Ministério da Fazenda e Preços], mostrando conteúdo que não corresponde aos princípios e valores patrióticos e revolucionários de nossos trabalhadores”, disse Bolaños Weiss no Twitter, ao ratificar seu apoio ao Partido Comunista de Cuba, ao líder do regime, Díaz-Canel, e à Revolução.

Como resultado do ataque, mensagens como “Abaixo a ditadura”, “Liberdade para presos políticos”, “Díaz-Canel [palavrão]”, “Democracia”, “Eleições livres”, “SOS Cuba” e “Pátria e Vida”, entre outros, foram colocados no site do Ministério sob o nome do Anonymous Cuba (A Resistência Digital).

O Epoch Times conseguiu verificar que a página do Ministério de Finanças e Preços de Cuba não pode ser acessada.

Em resposta ao ataque cibernético, o Anonymous Cuba declarou no Twitter que tais atos em outros países são ilegais, mas diz que realizado contra a ditadura é um ato de “legítima defesa”.

“O Anonymous Cuba, esclarece, em qualquer lugar do mundo esses atos são ilegais, contra a ditadura cubana é legítima defesa. SOSCuba”, escreveu o grupo nesta segunda-feira

Por outro lado, também destacou que o palavrão usado contra o líder da ditadura cubana nas manchetes do ciberataque “foi um pedido do povo cubano

“O Anonymous Cuba, declara que a grosseria nas manchetes hackeadas foi um pedido do povo cubano, e foi em tempo real, a mensagem original é esta, e então os cubanos estavam pedindo para modificá-la e esta foi a que ganhou”, acrescentou o grupo em uma publicação separada nesta segunda-feira. 

 
Matérias Relacionadas