Angelia Wang expressa a beleza da cultura chinesa através da dança

Cada movimento tem significado na dança clássica chinesa

Por Maria Han
15/09/2023 17:15 Atualizado: 15/09/2023 17:15

Para o olho treinado, a dança clássica chinesa e o balé são tão diferentes quanto a noite e o dia, mas para um frequentador de teatro, pode ser fácil confundir a dança clássica chinesa com o balé, especialmente porque até mesmo escolas e companhias de dança na China estão usando uma combinação de balé e dança clássica chinesa.

Em um vídeo do Shen Yun Zuo Pin, Angelia Wang, dançarina principal da Shen Performing Arts, com sede em Nova Iorque, esclarece essa confusão contrastando as seis diferenças entre a dança clássica chinesa e o balé.

A dança clássica chinesa está intimamente ligada aos 5.000 anos de civilização da China, dinastia após a dinastia enriquecendo a forma de arte. Uma dançarina que tem essa cultura e história incorporada possui a capacidade de expressar tamanha beleza.

Poses e linhas

Na dança clássica chinesa, o círculo é a forma mais importante. Os movimentos da dança são sempre fluidos e curvos.

No balé, porém, são as linhas que tornam os bailarinos tão elegantes e equilibrados. Os braços e as pernas dos bailarinos são geralmente retos e os ângulos formados pela cabeça, tronco e membros são particularmente rígidos.

Wang ressalta que as diferenças em ambos os estilos de dança estão profundamente enraizadas em cada cultura. “A cultura ocidental valoriza o retrato realista. As pinturas ocidentais enfatizam linhas, ângulos, perspectiva e cores – a forma é muito importante.” Enquanto na China as pinturas não eram tão precisas, mas o seu valor estava no significado de cada traço. “O balé enfatiza belas linhas. Cada movimento deve ser perfeito… A dança clássica chinesa, por outro lado, concentra-se no reino interior do dançarino.”

Trabalho de pés

Como descreve Wang, a diferença no footwork entre os dois estilos de dança é mais óbvia nas dançarinas. As bailarinas costumam ser vistas nas pontas ou com os pés em uma das cinco posições em que os dedos apontam para fora, dando um ar de sofisticação.

As dançarinas da dança clássica chinesa são obrigadas a dominar a técnica de mover rapidamente os pés, do calcanhar aos dedos dos pés,  a cada passo. O pé toca o chão desde o calcanhar, passando para o arco, a planta dos pés até finalmente os dedos dos pés. Esse tipo de footwork, chamado “yuan chang” em chinês, dá a impressão de que os dançarinos flutuam pelo palco.

Tipos de movimentos 

Na dança clássica chinesa, os movimentos dos braços e pernas começam no peito e no quadril. O fluxo de movimentos também começa com um leve movimento para a esquerda antes de ir para a direita e começa com um leve movimento para a direita antes de ir para a esquerda. No balé, a maior parte do movimento acontece nas pernas, enquanto os movimentos dos braços são mais limitados.

Os giros também são marcadamente diferentes entre o balé e a dança clássica chinesa. No balé, os giros e voltas são feitos em um plano horizontal. Enquanto na dança clássica chinesa, um “moinho de vento”, isto é, um giro em um plano vertical, é comumente usado. Esse giro pode ser feito no local ou em movimento.

História das danças

De acordo com o Atlanta Ballet, esta forma de dança começou durante o Renascimento italiano do século XV e atingiu o seu auge durante o reinado do rei francês Luís XIV. Louis codificou os padrões do balé, que ainda são válidos hoje. O balé começou com as danças da corte e, portanto, seguiu a etiqueta da corte.

A dança clássica chinesa, por outro lado, só foi padronizada em tempos recentes, mas a própria forma de dança incorporou a dança da corte chinesa, as artes marciais, o teatro chinês e a essência de cada dinastia ao longo dos 5.000 anos de civilização da China.

Respiração e coordenação 

Respiratória

A dança clássica chinesa incorpora a respiração proposital em todos os aspectos da dança. Na verdade, Wang nos diz que a respiração é “a alma da dança clássica chinesa”. Basicamente, determina o quão eficaz é a expressão de dança de um artista.”

A respiração não é um elemento essencial no balé. Ao dançar balé, os artistas tentam fazer com que os movimentos pareçam fáceis. Tentam dar a impressão de não precisar respirar.

Treinamento muscular

Os músculos usados na dança clássica chinesa são os mesmos usados nas atividades cotidianas, como correr ou praticar esportes. Assim, enquanto os dançarinos passam o dia, eles também fortalecem os músculos que usarão no palco.

No balé, os bailarinos são obrigados a virar os dedos dos pés para fora, o que ativa um grupo especial de músculos. Os músculos das pernas dos bailarinos são visivelmente diferentes dos músculos das pernas dos bailarinos clássicos chineses.

Da próxima vez que o Shen Yun Performing Arts vier ao seu local, tente identificar todas as coisas sobre as quais Wang falou e veja por si mesmo o que torna a dança clássica chinesa única.

Entre para nosso canal do Telegram