Amendoim: benéfico ao coração e ao bolso

Frutas oleaginosas – um tipo de alimento que você pode ter evitado devido ao seu conteúdo rico em gorduras – têm ganhado impulso como alimento 100% natural. Frutas como amêndoas, pecans e nozes são especialmente apreciadas devido ao seu alto conteúdo de vitaminas, minerais e gorduras mono e poliinsaturadas

O lado desfavorável é que tendem a ser caras. Mas, um estudo publicado no JAMA Internal Medicine coloca o humilde amendoim exatamente no mesmo patamar nutricional do que as suas primas mais caras. Este estudo torna os beneficio das frutas secas para a saúde mais acessíveis ao consumidores de baixa renda.

Durante um estudo, uma equipe internacional de pesquisadores descobriu que mais de 200.000 pessoas, de Savannah até Shangai, daqueles que regularmente comiam amendoins e outras nozes, tinham muito menos probabilidade de morrer, independentemente da causa – e, em particular, de doenças cardíacas – do que aqueles que raramente comem nozes. Isto reforça as evidências já existentes de duas investigações lideradas pela Havard: o “Nurses’ Health Study” e o “Harvard Professionals Follow-uo Study”.

Leia também:
Saiba tudo sobre as nozes e seus benefícios
Um possível tratamento para a alergia ao amendoim
O mito de que a gordura engorda

“Isto confirma o que descobrimos há alguns anos, e os nossos resultados haviam sido recebidos com intenso ceticismo”, afirma o Dr. Meir Stampfer, professor de nutrição e epidemiologia na Havard T.H Chan School of Public Health. “Botanicamente, os amendoins não são frutas oleaginosas, mas nutricionalmente são muito similares às frutas oleaginosas, e outros estudos demonstraram os seus benefícios,” Exlica o Dr Stampfer.

Qualquer botânico que se preze sabe que os amendoins não são frutas oleaginosas. Eles são, na verdade, legumes, e estão mais relacionados com os feijões de soja e lentilhas do que com amêndoas e nozes. Mas, como as frutas oleaginosas, os amendoins podem ser comidos como um petisco ou usados como ingredientes para melhorar a ingestão de proteínas em muitas saladas e outros pratos. Cerca de 30g – cerca de um quarto de xícara de chá ou um punhado -, uma vez ao dia, é, geralmente, uma porção saudável.

Atravessando fronteiras

O estudo do JAMA Internal Medicine verificou os resultados do consumo de amendoins e frutas oleaginosas em dois grandes grupos de pessoas de diferentes nacionalidades, raças, etnias e rendimentos:
· 72.000 americanos, com idades entre 40 e 79, vivendo em 12 estados do sul. A maior parte vivendo com baixos rendimentos e dois terços deles sendo americanos de descendência africana
· 135.000 homens e mulheres em Shangai, China, entre 40 e 74 anos.

Os investigadores usaram questionários para comparar o consumo de frutas oleaginosas e de amendoim. Eles seguiram os grupos por vários anos e contaram quantos participantes morreram e de quais causas. No grupo dos estados do sul, aqueles que regularmente comeram amendoim tinham 21% a menos de probabilidade de morrer de qualquer causa, durante um período de 5 anos. Nos grupos chineses, que foram acompanhados durante 6 a 12 anos, a taxa de mortalidade dos consumidores de nozes foi 17% mais baixa.

Para todos os grupos os investigadores tomaram em conta as influencias nocivas como tabagismo, obesidade, hipertensão e diabetes que eram especialmente comuns no grupo dos estados do sul.

Comer amendoins pode bem ser tão potente para prevenir doenças cardíacas como comer outras nozes.

A diversidade dos participantes neste novo estudo é importante. Os participantes nos estudos anteriores de Havard eram, em sua maior parte, profissionais de saúde de raça branca com maior nível de educação e que ganhavam salários mais altos que a maior parte das pessoas dos estados do sul. E em estudos que apenas observam grandes grupos de pessoas ao longo do tempo e o que estas comem, tal como nos estudos de Havard, os cientistas não podem ter a certeza se algumas das melhorias na saúde se relacionam mais com o estilo de vida dos participantes ou genes do que com a comida que consomem. Verificar os mesmos benefícios de saúde em grupos diversos pode ser uma boa confirmação.

Abraçar o amendoim

Uma lição importante para levar para casa é que os benefícios das frutas oleaginosas para a saúde parecem manter-se independentemente da raça ou de diferenças em rendimentos, o que frequentemente tem forte influência na saúde. “Isto extende-se a diversas populações, dando ainda mais credibilidade aos resultados,” Diz o Dr.Stampfer.

Outra é que comer amendoins parece ser tão potente para prevenir doenças cardíacas como comer certas frutas oleaginosas. Uma vez que os amendoins geralmente custam menos do que as caras frutas oleaginosas, as pessoas que têm baixa renda podem conseguir os mesmos benefícios com um menor orçamento.

Porque este estudo se baseia na observação, não podemos verdadeiramente ter a certeza que são as frutas oleaginosas que beneficiam o coração. Mas, comparativamente com outras “comidas saudáveis”, frutas oleaginosas e amendoins demonstram algumas fortes evidências: “Mesmo se não gostar de frutas oleaginosas, ainda é boa ideia comer uma mão cheia delas todos os dias”, Diz o Dr. Stampfer.

 
Matérias Relacionadas