Amazônia, mãe do clima do Brasil

As leis da natureza agem e respondem rapidamente às agressões ambientais
Lago Maracarana  na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, Amazonas (Cortesia de Eduardo Guimarães Rizzo)
Lago Maracarana na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, Amazonas (Cortesia de Eduardo Guimarães Rizzo)

A água na atmosfera, que chamamos vapor de água, provém de um ciclo contínuo. Os rios, que se formam por precipitações pluviais, formam por sua vez nuvens como consequência de sua evaporação. Deste modo, a água da chuva retorna para a atmosfera através da evaporação da água e da transpiração das plantas que ela mesma alimenta.

A Amazônia é uma região de alta umidade, devido às altas temperaturas da região e sua frondosa e extensa vegetação. Na realidade, tudo está interconectado, a Amazônia, seus rios e a atmosfera são como uma grande bacia hidrográfica alimentando-se reciprocamente e se vinculando estranhamente através dos mecanismos da chuva.

Deste modo, se mudamos o curso de um rio com um reservatório, também se muda a região de evaporação de suas águas, unindo-se aos denominados “rios suspensos” de vento que fluem através da atmosfera. As tormentas que se produzem no Brasil e em muitos países vizinhos são alimentadas por estes rios que fluem através da atmosfera média e alta. A conexão destas tormentas com estes “rios suspensos” representa um fator de suma importância na configuração de precipitações intensas, que inclusive ocasionaram desastres no Brasil nos últimos anos.

A agressão à Amazônia, principalmente através do desmatamento, pode causar mudanças no regime das chuvas em grande parte do território brasileiro. Nos últimos anos, os meios de comunicação vincularam quase todos os desastres naturais com o aquecimento global. A elevação da temperatura do planeta pode influir em alguns fatores climáticos “locais”. Porém, o desmatamento pode oferecer uma reação muito mais severa.

Quão grave pode ser um crime ambiental? Pode uma simples empresa madeireira e uma área desmatada para uso pecuário devastar todo um estado, como os eventos do ciclone “Catarina” em Santa Catarina (Brasil) ou nos Estados Unidos? Podem fortes chuvas na região serrana do Rio de Janeiro ocasionar a morte de centenas de pessoas?

Não é tão simples, porque a atmosfera tem um mecanismo mais complexo. No entanto, esses danos ambientais podem alterar o fluxo do ciclo hidrológico, aumentando muitas vezes a intensidade das chuvas que, em condições normais, seria mais branda.

Na lei brasileira, os crimes ambientais são geralmente punidos levemente. No entanto, as leis da natureza são implacáveis e sem apelação. Elas não esperam até que um tribunal decida se alguém é culpado ou não. Elas simplesmente respondem, e respondem rapidamente.

 Para saber mais sobre a Amazônia, clique aqui.

Fernando Nunes Lopes é bacharel em meteorologia.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas