A amarga verdade sobre o açúcar

Dr. Robert Lustig, um professor de pediatria clínica da Division of Endocrinology at UC San Francisco (Divisão de Endocrinologia na Universidade da Califórnia – São Francisco), tem estado há alguns anos na vanguarda do movimento para educar as pessoas sobre os perigos do açúcar e, em particular, da frutose, para a saúde.

Nesse vídeo The bitter truth about sugar [em inglês], ele descreve como as recomendações do consumo de baixo teor de gordura conduziram a um aumento drástico no consumo de açúcar, mostrando que é, de fato, o açúcar e não a gordura, que causa a doença cardíaca.

O excesso de açúcar também é um fator primordial para inúmeras outras doenças crônicas. Este é um tema que ele investiga em profundidade, em seu novo livro, Fat Chance: Beating the Odds Against Sugar, Processed Food, Obesity, and Disease [ainda sem tradução para o português].

A quantidade excessiva de açúcar “oculto” em alimentos processados tem se tornado, literalmente, a espinha dorsal que sustenta o negócio de tratamento de doenças na América.

De acordo com o estudo de 2013 do Credit Suisse Research Institute (Instituto de Pesquisa do Banco de Crédito Suísso)  “Sugar: Consumption at a Crossroads” (Açúcar: o dilema do consumo), cerca de 40% das despesas com saúde nos Estados Unidos vêm de doenças diretamente relacionadas com o consumo excessivo de açúcar!

Açúcar mascarado como café da manhã, almoço e jantar …

Um grande problema com alimentos processados é que quando você lê o rótulo não há como saber quanto de açúcar é natural do alimento em si e quanto de açúcar foi adicionado.

Mesmo os alimentos que são normalmente considerados “saudáveis” podem conter quantidades chocantes de adição de açúcar ou frutose, tipicamente sob a forma de xarope de milho de alto teor de frutose (HFCS – High Fructose Corn Syrup).

Os ensaios clínicos têm mostrado que aqueles que consomem HFCS tendem a desenvolver fatores mais elevados de risco relacionados à doença cardiovascular dentro de apenas duas semanas, por isso, se eu tivesse que escolher o pior culpado entre os açúcares, este seria a frutose.

Leia também:
• Frutose: o veneno de baixa caloria que engorda
• Frutose refinada e xarope de milho engordam e fazem mal
• Comer junk food na gravidez gera dependência química nos bebes

De acordo com Dr. Lustig, é importante fazer a distinção entre os açúcares naturais dos alimentos versus açúcares adicionados.

Por exemplo, ele observa que uma pequena xícara de iogurte natural tem cerca de sete gramas de açúcar na forma de lactose, um açúcar natural encontrado em produtos lácteos, que não causa nemhum dano maior.

Um iogurte com sabor de fruta, por outro lado, contém cerca de 19 gramas de açúcar, no qual 12 gramas são de açúcar adicionado. Isso equivale a comer uma pequena xícara de iogurte natural com uma tigela de Sucrilhos.

De acordo com Dr. Lustig, “nós abdicamos de uma nutrição racional quando optamos por alimentos processados.” A mania do baixo teor de gordura tem sido particularmente prejudicial, porque quando a indústria de alimentos removeu a gordura, ela teve que adicionar muito açúcar. Sem qualquer gordura ou açúcar, o alimento ficaria sem sabor e ninguém iria comprá-lo.

Sabemos agora que a boa nutrição inclui gordura saudável, uma boa quantidade dela por sinal, e que o açúcar é o principal causador de inflamação crônica e problemas relacionados à saúde, incluindo obesidade, diabetes e doenças cardíacas.

Em suma, através da remoção da gordura e da adição de açúcar, a indústria de alimentos processados criou uma miscelânea de doenças feitas por encomenda. Além de enormes quantidades de açúcar, alimentos processados também são carregados com ingredientes que foram proibidos em outros países, tais como gorduras trans, adoçantes artificiais, ingredientes geneticamente modificados e glifosato [um dos herbicidas mais utilizado na agricultura mundial, comprovadamente cancerígeno em estudos científicos].

O segredo das empresas produtoras de refrigerantes: refrigerantes aumentam a sede!

De acordo com Dr. Lustig, há uma conspiração em torno do açúcar no refrigerante. Refrigerantes contêm cafeína, um diurético leve que faz você urinar mais, eliminando assim a água de seu corpo. Além disso, contém cerca de 55 mg de sal e quando você toma sal e excreta água, você tem mais sede.

A razão pela qual refrigerantes contêm muito açúcar é porque eles precisam mascarar o sabor do sal … “Elas [as empresas de refrigerantes] sabem o que estão fazendo e isso é muito específico”, diz o Dr. Lustig, “porque elas têm feito isso para que, desta forma, você compre mais. Esta é a sua estratégia de negócio.”

Infelizmente, é uma estratégia de negócios que está matando lentamente clientes … Para completar os malefícios, o açúcar também tem sido reconhecido como sendo oito vezes mais viciante do que a cocaína, o que também garante que você vai ficar viciado em alimentos processados e bebidas doces.

Seu corpo pode lidar somente com uma quantidade limitada de açúcar

O principal problema do açúcar, e da frutose processada em particular, é o fato de que o fígado possui uma capacidade muito limitada para metabolizá-lo. De acordo com Dr. Lustig, você consegue metabolizar de forma segura cerca de seis colheres de chá de açúcar adicionado por dia. No entanto, o americano médio consome 22 colheres de chá de açúcar adicionado por dia.

Todo o excesso de açúcar é metabolizado [se transforma] em gordura corporal e conduz a todas as doenças metabólicas crônicas que lutamos contra, incluindo as seguintes, dentre outras:
• diabetes tipo 2
• doenças cardiovasculares
• hipertensão arterial
• demência
• câncer

De acordo com um estudo publicado, no início deste ano, no JAMA – The Journal of the American Medical Association (Jornal da Associação Americana de Médicos) – , os americanos obtêm, em média, cerca de 350 calorias por dia a partir da adição de açúcar na dieta. (Isso equivale a cerca de 22 colheres de chá de açúcar, como observado anteriormente, o que computa 25% do total da ingestão diária de calorias do americano médio.)

Nesse estudo as pessoas que consumiram 21% ou mais de suas calorias diárias na forma de açúcar tinham duas vezes mais probabilidade de morrer de doença cardíaca, em comparação com aqueles que receberam 7% ou menos de suas calorias diárias provindas de açúcar adicionado.

O risco quase triplicou entre aqueles que consumiram 25% ou mais de suas calorias diárias a partir da adição de açúcar. Aproximadamente 10% dos americanos consomem açúcares neste nível de risco triplicado.

Quatro gramas de açúcar são equivalentes a cerca de uma colher de chá, e eu recomendo fortemente que você limite a sua ingestão diária de frutose a 25 gramas ou menos, de todas as fontes [de açucar], incluindo as naturais, como as frutas. Isso equivale a pouco mais de seis colheres de chá de açúcar por dia.

Se você está entre a maioria dos 80% que tem resistência à insulina ou à leptina (obesos, diabéticos, hipertensos ou os que utilizam remédios à base de estatinas), você seria sábio se restringisse o seu consumo total de frutose para menos de 15 gramas por dia, até que você tenha normalizado os níveis de insulina e leptina [Leptina é um hormônio presente em células adiposas do corpo humano, que, entre outras funções, informa o cérebro sobre a necessidade do corpo de ingerir mais alimentos ou não].

Conexão entre açúcar e câncer revisada

Hospitais são notoriamente ignorantes sobre os danos metabólicos associados ao açúcar e aos alimentos processados. Mesmo hospitais de câncer servem dietas ricas em carboidratos processados aos seus pacientes, apesar do fato de que a ciência mostra claramente que o açúcar alimenta o câncer.

Os carboidratos se transformam em glicose em seu corpo, e as células cancerosas precisam de glicose para prosperar. A fim de matar as células cancerosas de fome, você tem que eliminar a sua principal fonte de alimento, ou seja, os açúcares, que incluem todos os carboidratos de origem não-vegetal. Otto Warburg, efetivamente, recebeu o Prêmio Nobel em 1934 por sua pesquisa sobre a fisiologia da célula cancerosa, onde demonstrava claramente que as células cancerosas exigem mais açúcar para prosperar. Infelizmente, muito poucos oncologistas apreciam ou aplicam esse conhecimento hoje.

O último World Cancer Report – Relatório Mundial do Câncer, emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), prevê que as taxas de câncer em todo o mundo aumentarão 57% nas próximas duas décadas. Mas o relatório também aponta que a metade de todos os cânceres são evitáveis e podem ser evitados se o conhecimento médico atual intervir. Dieta (e exercício) está incluída na lista do relatório sobre estratégias de prevenção de cânceres conhecidos.

Acredito firmemente que a redução do consumo de açúcar e alimentos processados é parte integrante da resposta em longo prazo. Mesmo em termos de tratamento, o câncer tem demonstrado já responder apenas a uma mudança na dieta. A dieta cetogênica, que é rica em gordura saudável e pobre em açúcar, tem demonstrado reverter câncer em muitos casos; além disso, muitas outras incríveis pesquisas têm sido feitas nesta área. Essa dieta pode ser muito útil no tratamento da resistência à insulina subjacente. Uma vez que a resistência à insulina é resolvida, a dieta cetogênica normalmente não é mais necessária.

Novo estudo revela que o açúcar também dá início ao crescimento de câncer

Oncologistas certamente terão que começar a prestar mais atenção à questão do açúcar, se tiverem intensão de praticar medicina baseando-se na ciência. Não só existe uma base científica sólida para a alegação de que o açúcar alimenta o câncer já existente: de acordo com um estudo publicado em janeiro no Journal of Clinical Investigation, o açúcar também aparece originar o surgimento do câncer. Como relatado por GreenMedInfo.com, neste estudo:

“… fornece [m] evidência de que o aumento da ativação glicolítica em si pode ser um evento oncogênico …’ Isto é, a ativação do metabolismo à base de açúcar em uma célula – acionado tanto pela presença de maiores quantidades de glicose quanto pelo aumento dos receptores de glicose na superfície da membrana celular (ou seja, “superexpressão de um transportador de glicose ‘) – ativa a iniciação do câncer.”

Além disso, o estudo mostrou que ‘Reciprocamente, a redução forçada da absorção de glicose pelas células do câncer de mama conduziu à reversão fenotípica. Em outras palavras, a intervenção na disponibilidade de açúcar e sua captação pelas células faz com que a célula cancerosa REVERTA a sua estrutura-funcional pré-câncer (fenótipo).

Dicas para reduzir a ingestão de açúcar adicionado

Como mencionado no vídeo em destaque, a maneira mais fácil de reduzir drasticamente seu consumo de açúcar e frutose é mudar para uma dieta de alimentos integrais, não processados, pois a maioria da adição de açúcar que você acaba ingerindo vem da indústria de processados e não do fato de se adicionar uma colher de chá de açúcar em seu chá ou café. Mas há outras maneiras de se reduzir isso bastante. Estas incluem:
• Diminuir a quantidade de açúcar que você pessoalmente adiciona à sua comida e bebida
• Usar a stevia [planta cujas folhas têm sabor doce e que, entre outras coisas, serve como adoçante natural, inclusive regulando algumas funções do pâncreas] ou o Luo Han Guo [Luo Han Guo é uma planta de origem chinesa da qual se extrai um fruto adocicado, cujo teor de açucar é muito maior do que o açucar obtido da cana-de açucar, e que pode ser usado como adoçante, inculsive porque tem propriedades antidiabéticas], em vez de açúcar e/ou adoçantes artificiais. Você poderá saber mais sobre o melhor e o pior substituto do açúcar no meu artigo anterior, “Sugar Substitutes—What’s Safe and What’s Not“.
• Usar frutas frescas em vez de conservas de frutas ou açúcar para refeições ou receitas que pedem um pouco de sabor doce
• Usar especiarias em vez de açúcar para adicionar sabor à sua refeição

Assuma o controle de sua saúde para evitar se tornar uma estatística

Uma pesquisa provinda de uma das instituições mais respeitadas da América confirma agora que o açúcar é um fator dietético primário na ativação do desenvolvimento de doenças crônicas. Até o momento, estudos científicos têm relacionado o consumo excessivo de frutose a cerca de 78 diferentes doenças e problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas e câncer.

Esta informação coloca você no banco do condutor, quando se trata de prevenção … Como regra geral, uma dieta que promove a saúde é rica em gorduras saudáveis e muito, muito baixo teor de açúcar e carboidratos não-vegetais, juntamente com uma quantidade moderada de proteína de alta qualidade. Para mais detalhes, consulte o meu plano gratuito de nutrição otimizada, que também inclui recomendações de exercício, iniciando do nível básico ao avançado.

 
Matérias Relacionadas