Alckmin diz que São Paulo não terá problema de abastecimento de água nos próximos meses

Após participar de solenidade no Palácio do Planalto na qual foi firmado contrato para a realização da obra de fornecimento de água do Sistema Produtor São Lourenço, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assegurou nesta quinta-feira (4), que o estado não enfrentará qualquer problema de crise hídrica nos “próximos meses”.

“Nós não passaremos por problemas nos próximos meses. Continuamos nos empenhando com firmeza para vencer a estiagem do ano que vem. Estamos trabalhando cada um dos projetos de engenharia, falou Alckmin, todos sendo tomados nessa direção”, declarou o governador durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

Leia também:
A crise da água pelo Brasil
Warka Water: água pura para populações pobres
Máscara de mergulho faz humanos respirarem como peixes

“Sofremos e continuamos a sofrer a maior seca dos últimos 84 anos. A maior seca havia sido em 1953, tivemos neste ano metade das chuvas de 1953.”

A obra de fornecimento de água do São Lourenço será realizada através de Parceria Público-Privada (PPP) e custará R$ 2,6 bilhões.

Conforme o Ministério das Cidades, o sistema será constituído por uma captação da Represa Cachoeira do França, um aqueduto de água bruta, separado em dois trechos, e uma estação de tratamento de água.

“Se a gente pensar que 1 metro cúbico por segundo supre 300 mil pessoas, vamos alcançar quase 2 milhões de pessoas com esse novo sistema”, mencionou o governador,  que garantiu entregar a obra até 2017.

Conforme Alckmin, São Paulo tem sofrido com a crise hídrica, mas com estudos, obras e uso inteligente da água.

“Nós retirávamos do Cantareira 33 metros cúbicos por segundo e fomos trocando pelos demais sistemas da região metropolitana. Hoje, nós retiramos 18 metros cúbicos por segundo do Cantareira”, confirmou.

Ele frisou a implementação do bônus para os consumidores que pouparem água.

“80% dos moradores adotou e nós tivemos uma economia considerável”, disse o governador.

Com informações da Agência Estado

 
Matérias Relacionadas