Adolescente é condenado a 2 anos de prisão na Áustria por terrorismo

Um adolescente de 14 anos foi acusado de planejar explodir uma bomba numa estação de Viena, no outono, em nome do grupo terrorista autodenominado Estado Islâmico (EI).

Depois do atentado, o jovem de origem turca, que vai cumprir oito meses de prisão efetiva, pretendia juntar-se ao EI na Síria.

Leia também:
Síria acusa Estado Islâmico de matar 400 civis em Palmira
Como na China, ISIS realiza extração forçada de órgãos de prisioneiros
Estado Islâmico recua na Síria e obtém controle de Ramadi, no Iraque, a 100 km de Bagdá

Julgado por “participação num atentado terrorista”, o acusado reconheceu os fatos no tribunal de Sankt-Pölten, a 70 quilômetros a oeste de Viena.

Devido à idade do acusado, que já cumpriu cinco meses em detenção, a pena máxima era de cinco anos de prisão efetiva.

O adolescente teria entrado em contato com representantes do EI em Viena e pretendia fabricar uma bomba que seria detonada em Westbahnhof, uma das principais estações ferroviárias da capital austríaca. Em seguida, queria partir para a Síria.

Durante o inquérito, as autoridades encontraram numerosas imagens extremamente violentas de propaganda do EI no computador, telefone e console Playstation do adolescente.

De origem alevita, ramo do Islã xiita praticado sobretudo na Turquia, o garoto começou a aproximar-se do sunismo radical no início do ano passado.

Chegado à Áustria em 2007, o adolescente “cresceu sem pai” e foi colocado numa escola para crianças com grandes dificuldades, onde “as perspectivas profissionais são quase inexistentes”, por isso “procurou ser reconhecido, pertencer a um grupo”, disse o advogado de defesa Rudolf Mayer.

“Conseguem imaginar o poder de uma propaganda que diz aos jovens, cuja existência parece não ter sentido, ‘você pode fazer qualquer coisa e terá dinheiro e mulheres por isso’?, argumentou o advogado, que disse ter ficado satisfeito com a sentença do tribunal.

A avaliação psiquiátrica do adolescente estabeleceu que, apesar de “falta de maturidade”, o acusado era penalmente responsável pelos atos.

Mais de 200 pessoas, incluindo mulheres e menores, viajaram da Áustria para a Síria e Iraque, de acordo com as autoridades. Cerca de 70 suspeitos regressaram ao país e vários aguardam julgamento.

Um tribunal de Viena julgava hoje, em outro caso, uma adolescente de 16 anos acusada de pretender juntar-se ao EI na Síria.

 
Matérias Relacionadas