Ações do Twitter voltam a despencar nesta semana

Por Bruna de Pieri, Terça Livre

As ações do Twitter caíram ainda mais na segunda-feira (18) em resposta ao banimento do presidente dos Estados Unidos Donald Trump da plataforma.

Conforme noticiou o Terça Livre, há uma semana atrás as ações do Twitter caíram em mais de 12%.  A baixa no preço das ações subtraiu US$ 5 bilhões da capitalização de mercado da empresa.

Por volta das 11h20 de segunda-feira (horário leste dos Estados Unidos), as ações da empresa com sede em São Francisco estavam sendo negociadas a $ 44,96, caindo cerca de 0,50%. No início do dia, as ações estavam sendo negociadas abaixo de $ 44,60.

Em 6 de janeiro, durante a Sessão Conjunta do Congresso, as ações da empresa estavam sendo negociadas a $ 53,26. O Twitter caiu cerca de 17% até agora em 2021.

Na semana passada, o analista da CNBC Jim Cramer alertou que as ações do Twitter podem cair ainda mais por causa da censura contra Trump.

“Acho que muitas pessoas sabiam literalmente que o presidente era a pessoa mais importante [no Twitter]”, disse ele, acrescentando que “era preciso ficar checando ele e depois checando quem falava dele”. Basicamente, Trump pautava toda a imprensa com suas postagens.

“E você tem esse ciclo sem fim, essa internet que o presidente criou e é como se fosse ação e reação, então acho que o fator surpresa de entrar no twitter e ver o que o presidente estava dizendo acabou”, disse Jim Cramer.

Trump tinha mais de 88 milhões de seguidores e seus tweets normalmente tinham o maior envolvimento em termos de retuítes, comentários ou “curtidas”.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas