Aborto matou mais que coronavírus, denuncia ministro da Educação

Por Bruna Lima, Terça Livre

Na última quarta-feira (21) o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, publicou em seu perfil no Twitter uma imagem com a fala de Paul Washer, que comparava o número de mortes por coronavírus e o número de mortes por aborto.

“O novo coronavírus matou UM MILHÃO e oitocentas mil pessoas no mundo em um ano. É bastante coisa. O aborto mata em média CINQUENTA E CINCO MILHÕES e novecentas mil pessoas por ano. O primeiro chamam de pior epidemia do século. O segundo chamam de direito”, diz a publicação.

“Para uns poucos que duvidam de dados, chego com remédio que estremece os extremistas que são a favor do aborto: evidência científica”, disse Ribeiro em outro tuíte.

who.int/reproductivehe Números da OMS caso alguém tenha dúvidas”, completou o ministro.

Segundo o instituto Guttmacher, que monitora dados de abortos em diversos países, de 2015 até julho de 2020 foram registradas “cerca de 121 milhões de gravidezes indesejadas” que “ocorreram a cada ano“. Dessas, “61% terminaram em aborto.” O que “se traduz em 73 milhões de abortos por ano.”

A partir de 1º de janeiro deste ano, já foram contabilizados mais de 2 505 518 abortos em todo o mundo. Esses dados são monitorados e divulgados pelo Worldometers, um site de referência que fornece contadores e estatísticas em tempo real, com base nas estatísticas da Organização Mundial da Saúde.

link que o Ministro da Educação compartilhou, porém, encontra-se agora indisponível, por, provavelmente, uma exclusão de conteúdo ou mudança dentro da própria plataforma de dados da OMS.

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES.

 

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas