Abandonado pelo DEM, Maia ameaça aceitar impeachment de Bolsonaro

Por Bruna de Pieri, Terça Livre

Abandonado por seu próprio partido, o ainda presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) ameaçou aceitar algum dos pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (1º). Este seria seu último ato à frente da Casa.

Durante a reunião da executiva nacional neste domingo (31), os parlamentares do DEM optaram pela neutralidade, ou seja, poderão votar em quem quiserem.

A decisão é vista como uma derrota para Rodrigo Maia, que patrocinou a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) e agora ficou abandonado pelo próprio partido.

Rossi disse que vai analisar todos os pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro caso seja eleito.

“Com absoluta certeza, eu não fugirei às minhas responsabilidades de analisar [um processo de impeachment] tecnicamente, à luz da Constituição, com os fatos políticos e dentro das responsabilidades”, prometeu Rossi em entrevista à GloboNews.

Já o principal adversário de Baleia Rossi, deputado Arthur Lira (PP-AL), que tem o apoio de Bolsonaro, mas nega ser o “candidato do governo”, não se compromete com eventual processo de impeachment. “Não precisamos abrir uma crise política nesse país”, declarou Lira. As informações são do Poder 360.

A Câmara dos Deputados realiza nesta segunda-feira (1º), a partir das 19 horas, a eleição da Mesa Diretora que vai conduzir as atividades da Casa no biênio 2021-2022.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas