Comissão de Biossegurança libera soja geneticamente modificada

Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou na semana passada mais um tipo de soja modificada geneticamente que resiste melhor a insetos e é mais tolerante a herbicidas.

“Essa espécie reduz e até elimina o uso de inseticidas e agrotóxicos no plantio. Além disso, também torna essa soja insensível a certos herbicidas, evitando a necessidade de capina para limpar a cultura”, afirmou o professor da CTNBio Carlos Termignoni.

No processo de avaliação e aprovação de um produto para ser comercializado, a CTNBio faz uma análise dos riscos quanto à biossegurança. Depois, é feita uma requisição ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para que seja autorizado o registro do item a ser comercializado.

A CTNBio liberou também a utilização de uma enzima na fabricação de detergentes. Segundo Termignoni, a enzima é totalmente segura para a saúde humana e para o meio ambiente.

“É um avanço imenso na questão da qualidade do processo de obtenção do produto final, diminuindo a quantidade de resíduos na produção. Um produto mais limpo e eficiente barateia os custos”, concluiu o pesquisador Galdino Andrade.

Leia também:
Procuradores desistem de reajuste salarial de 16,7%
Fachin suspende inquérito contra Michel Temer no STF
Comissão do Senado aprova lei que permite acumular pacote de dados do celular

 
Matérias Relacionadas