426 pessoas na China peticionam para a libertação de praticante do Falun Gong

Após ter sofrido uma doença debilitante por quatro anos seguidos, a sra. Peng Huaying ficou exaltada após ver que todos os seus sintomas desapareceram rapidamente assim que começou a praticar o Falun Gong em 2008. Ela queria dizer aos outros que o Partido Comunista Chinês (PCC) está errado em perseguir a prática de auto cultivo que transformou sua vida.

Seu ato simples, no entanto, fez com que ela ficasse sob custódia policial muitas vezes. Pressionado pelas autoridades locais, seu local de trabalho, o Instituto de Estatística da Cidade de Bazhong, a rebaixou de cargo e, eventualmente, a demitiu do cargo de chefe de seção em 2012. Eles também cortaram-lhe sua pensão, apesar de sua elegibilidade como funcionária de longa data.

Mais recentemente, a sra. Peng foi presa novamente em setembro de 2014, após apresentar uma carta à uma equipe de inspeção do governo central em que se queixava da perseguição sofrida. Em vez de peticionar a sua carta de queixa, a equipe de inspeção enviou à polícia, que tomou medidas para enviar mandar a sra. Peng à uma prisão local.

Seu pai e seu advogado foram à várias agências de governo em novembro para solicitar a sua libertação, mas eles não foram bem sucedidos.

Ao saber da sua prisão, a comunidade local começou a trabalhar numa petição para garantir sua libertação. Até agora, 426 pessoas deixaram suas impressões digitais ou assinaram seus nomes numa petição solicitando sua libertação.

Cinco empregadores locais também estamparam os logotipos de suas respectivas empresas, mostrando apoio.

Antes de sua prisão mais recente, a sra. Peng foi condenada há um ano e meio de trabalho forçado em 2011, mas o campo de trabalho se recusou a admiti-la por ter sido reprovada nos exames médicos pedidos na época.

A mãe da sra. Peng faleceu enquanto a filha estava na prisão em 2012, o mesmo ano em que ela perdeu o emprego. Ela teve que viver com seu pai e depender da própria pensão miserável para sobreviver após sua libertação.

Tendo trabalhado no instituto de estatística por mais de 30 anos, a sra Peng ganhou o prêmio “Funcionário do Ano” inúmeras vezes. Seus colegas de trabalho e amigos estão indignados que tal pessoa muito respeitada tenha sido obrigada a passar por tal tribulação simplesmente por causa de sua crença e estão buscando a sua libertação imediata.

 
Matérias Relacionadas