Dois terroristas do ISIS, Incluindo um líder sênior, sāo mortos no Iraque

Por Tom Ozimek

O primeiro-ministro iraquiano, Mustafa Al-Kadhimi, anunciou em 2 de fevereiro que as forças de segurança mataram dois terroristas ligados ao ISIS – o comandante do grupo no sul do Iraque e um indivíduo que facilitou ataques suicidas à bomba.

“O terrorista Abu Hassan al-Gharibawi, o chamado líder do sul do Iraque em Daesh, e o terrorista Ghanem Sabah Jawad, responsável pelo transporte de homens-bomba, foram ambos eliminados hoje, além de outros elementos terroristas”, escreveu Kadhimi  em um tweet , referindo-se ao ISIS por uma sigla em árabe – Daesh.

“Essas vitórias são parte da promessa de nossos heróis de eliminar os líderes das gangues do Daesh e em lealdade ao sangue dos mártires iraquianos”, escreveu Kadhimi. “Nossas forças de segurança nos deixaram orgulhosos. Viva o Iraque”.

Os dois foram mortos em uma operação de segurança em andamento para caçar células terroristas do ISIS, depois que dezenas de civis foram assassinados em um duplo ataque suicida em Bagdá.

O ataque marca a segunda eliminação de alto perfil de terroristas do ISIS, com Kadhimi anunciando na semana passada que as forças de segurança mataram Abu Yaser al-Issawi, um comandante do ISIS que alegou ser o líder do grupo terrorista no Iraque e seu “vice-califa”.

“Eu dei minha palavra que iria perseguir os terroristas do Daesh, demos a eles uma resposta trovejante”, escreveu Kadhimi em um tweet  em 28 de janeiro.

Duas semanas atrás, o ISIS assumiu a responsabilidade por um atentado suicida duplo que matou pelo menos 32 pessoas em um mercado lotado de Bagdá. Foi o primeiro grande atentado suicida no Iraque em três anos.

As autoridades iraquianas disseram que o ataque foi um possível sinal de renascimento do grupo terrorista após sua derrota militar há três anos. No auge de seu poder, o ISIS controlava cerca de um terço do Iraque, mas em 2017 havia sido expulso de todo o território que detinha no país.

O líder supremo do grupo terrorista, Abu Bakr al-Baghdadi, morreu em 2019 durante um ataque dos EUA na vizinha Síria.

O presidente Donald Trump disse na época que um ataque noturno realizado pelas forças de Operações Especiais no noroeste da Síria na noite de 26 de outubro levou à morte de al-Baghdadi.

“Na noite passada, os Estados Unidos levaram o líder terrorista número 1 do mundo à justiça”,  disse Trump . “Abu Bakr al-Baghdadi está morto. Ele foi o fundador e líder do ISIS, a organização terrorista mais cruel e violenta do mundo”.

Al-Baghdadi morreu depois de fugir para um túnel sem saída, disse Trump.

O ex-secretário de Estado Mike Pompeo alertou em junho de 2020 que os terroristas do ISIS continuam a representar uma ameaça em partes do mundo, e instou os aliados a intensificarem os esforços de financiamento para derrotá-los, apesar da crise orçamentária provocada pela pandemia.

“Nossa luta contra o ISIS continua, e continuará no futuro previsível. Não podemos descansar ”, disse Pompeo em uma reunião virtual de representantes de 31 países e parceiros na luta contra o terrorismo internacional.

“Devemos continuar a erradicar as células e redes do ISIS e fornecer assistência de estabilização às áreas libertadas no Iraque e na Síria”, disse ele.

Siga Tom no Twitter: @OZImekTOM
https://www.youtube.com/watch?v=6R7XSNzxqvg&feature=emb_logo
 
Matérias Relacionadas