Publicado em 01/10/2016 às 20:34 - Atualizado em 01/10/2016 às 20:34

TSE autoriza envio de Forças Armadas para 315 municípios

Quase 100 já foram assassinados este ano por motivos políticos

"Vamos estar num plantão de vigília para que tenhamos eleições realmente em paz", disse o presidente do TSE (José Cruz/Agência Brasil)

"Vamos estar num plantão de vigília para que tenhamos eleições realmente em paz", disse o presidente do TSE (José Cruz/Agência Brasil)

Foi autorizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o envio de soldados das Forças Armadas para que a segurança seja mantida em 315 municípios de 13 estados, conforme foi comunicado pelo presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes.

No decorrer da sessão extraordinária, houve demonstração de preocupação por parte do ministro quanto ao cenário de “insegurança pública”, mas Gilmar Mendes convocou a população para votar “de maneira segura” e colaborar para “um ambiente de paz”.

Nessa sexta-feira (30), foi autorizado pelos ministros o deslocamento de tropas para São Luís (MA), Maragogi (AL), Limoeiro de Anadia (AL) e Tabatinga (AM).

Leia também:
Dilma fura fila do INSS e se aposenta um dia após impeachment
Pacientes com doenças raras fazem vigília em frente ao STF

O plenário seguiu a determinação do ministro Henrique Neves, que havia autorizado a ação das forças federais no município de Itumbiara (GO), local onde o candidato à prefeitura José Gomes da Rocha foi assassinado em meio a uma atividade de campanha, com isso opondo-se ao governo de Goiás.

Marconi Perillo (PSDB), governador de Goiás, não havia concordado com o reforço de segurança.

“Vamos estar aqui num plantão de vigília para que tenhamos eleições realmente em paz, como tem acontecido em todos esses anos. Esperamos que isso não seja diferente neste ano. Temos um quadro de insegurança pública nesse momento, não se trata de algo necessariamente associado ao quadro eleitoral, se trata de deterioração no quadro de segurança pública e isso está repercutindo sobre o processo eleitoral”, declarou Gilmar Mendes.

“Temos de voltar as nossas atenções para essas localidades onde estão tendo esses desdobramentos e conclamar a população para que votem de maneira segura e contribuam para um ambiente de paz.”

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016