Publicado em 09/12/2016 às 14:18 - Atualizado em 09/12/2016 às 14:18

Planalto diz que idade mínima é ‘ponto central’ da reforma previdenciária

Objetivo é equilibrar futuramente os gastos com aposentadorias

O governo constatou que a fixação de uma idade mínima em 65 anos será muito difícil de ser aprovada (Agência Brasil)

O governo constatou que a fixação de uma idade mínima em 65 anos será muito difícil de ser aprovada (Agência Brasil)

O Palácio do Planalto, através de sua assessoria de imprensa, soltou um comunicado hoje (9) pela manhã, informando que “é incorreta a informação de que o governo federal aceita diminuir a idade mínima de 65 para requerer a aposentadoria na proposta da Reforma da Previdência”. Consta da nota governamental que “esse ponto é central” para que seja possível alcançar equilíbrio nos gastos com aposentadorias no futuro.

Embora tenha negado a possibilidade de rever a questão da idade mínima, o Planalto está preparado para fazer frente à resistência contra a reforma através de negociações com as centrais sindicais. Existe a opção de se fazer um escalonamento até atingir a idade de 65 anos.

Leia também:
Prefeito eleito de Osasco é alvo de operação do MP
Reforma da Previdência endurece regras de concessão de pensão

Ao longo da reunião do presidente Michel Temer com as centrais sindicais para anunciar a reforma, o governo percebeu que será muito difícil aprovar a idade mínima. Esse inclusive foi o item mais contestado pelos sindicalistas. Mas interlocutores do governo explicaram que essa proposição foi delineada de forma a manter uma margem de negociação, por causa da complexidade da reforma e das resistências já constatadas previamente ao comunicado do presidente Temer.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016