Publicado em 11/04/2014 às 21:10 - Atualizado em 12/04/2014 às 21:46

Lua Vermelha: eclipse total ocorrerá no próximo dia 15

No Brasil, o eclipse total poderá ser visto das 4h46 às 5h24 (horário de Brasília) (Imagem de domínio público)

No Brasil, o eclipse total poderá ser visto das 4h46 às 5h24 (horário de Brasília) (Imagem de domínio público)

Na madruga do dia 14 para o dia 15 de abril, a Lua cheia terá um atrativo especial: um eclipse total deixará a Lua vermelha por 78 minutos. O fenômeno é chamado de Lua Vermelha ou Lua Sangrenta.

O eclipse lunar total é um fenômeno que acontece quando a Terra , a Lua e o Sol estão em perfeito alinhamento, cobrindo a Lua na sombra da Terra. No dia 15 de abril, quando a Lua entrar na sombra completa da Terra, o planeta vai espalhar a luz vermelha do Sol, que resultará na cor vermelha da Lua. Segundo Jair Barroso, a constituição da atmosfera da terra, como partículas vulcânicas, podem dar um cor ainda mais avermelhada.

De acordo com a Nasa, o evento será visível na América do Sul e do Norte. O fenômeno também poderá ser acompanhado parcialmente por observadores do Pacífico ocidental, e partes da Europa e da África. No Norte da Europa, na África Oriental, no Oriente Médio e na Ásia Central não será possível ver o eclipse.

De acordo com a Nasa, o evento será visível na América do Sul e do Norte. (Nasa/Reprodução)

De acordo com a Nasa, o evento será visível na América do Sul e do Norte. (Nasa/Reprodução)

No Brasil, o eclipse total poderá ser visto das 4h46 às 5h24 (horário de Brasília). Mas, de acordo com o astrônomo, o começo do fenômeno começa por volta das 3h da madrugada, “quando a Lua leva a primeira mordida”, usando a terminologia utilizada por astrônomos para identificar o processo gradual da formação da sombra.

De acordo com Barroso, os estados brasileiros que estão na parte leste do país como Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte terão dificuldade de ver todo o fenômeno pois, quando o eclipse estiver chegando ao fim, o dia estará clareando nesse lugares.

O pico do eclipse vai acontecer quando a Lua estiver em um ponto próximo à Ilha de Galápagos, no Oceano Pacífico. Por isso, de acordo com o pesquisador, quanto mais próximo desse ponto melhor será a visualização do fenômeno.

No Brasil, o lado oeste está mais próximo da parte principal do eclipse. Nos estados da região norte e centro-oeste, o Sol demora mais a nascer e os horários serão apropriados para ver toda a Lua Vermelha. Em Brasília, por exemplo, o dia só começa a clarear às 5h40.

No Brasil, o eclipse total poderá ser visto das 4h46 às 5h24 (horário de Brasília) (Nasa/Reprodução)

No Brasil, o eclipse total poderá ser visto das 4h46 às 5h24 (horário de Brasília) (Nasa/Reprodução)

A Lua Vermelha do dia 15 de abril terá um detalhe especial: do lado direito, um pouco acima, será possível ver o planeta Marte e a brilhante estrela Espiga. O planeta, conhecido como “estrela vermelha”, estará mais próximo da Terra. A Espiga, que é a estrela mais brilhante da Constelação de Virgem, também estará alinhada com a Lua. “A conjugação de astros numa região pequena de Sol forma um eclipse muito mais atraente para o público”, disse o astrônomo.

Sobre a mística em torno dos efeitos da Lua Sangrenta, o pesquisador ressalta que a cor vermelha é apenas a competência da retração seletiva por conta da atmosfera terrestre e que não há nenhuma alteração ou implicação do ponto de vista gravitacional e que as místicas ficam mais por conta da imaginação das pessoas.

Para o astrônomo, a melhor forma de acompanhar o fenômeno é a olho nu. O uso de pequenas lunetas poderá ajudar na visualização da Lua entrando na sombra da terra.

Este é o eclipse 56 de Saros, que começou no ano de 1022 e terminará em 29 de outubro no ano de 2338. O fenômeno do dia 15 de abril é também o primeiro de quatro eclipses lunares totais consecutivos em 2014 e 2015. O próximo acontecerá em 8 de outubro.

Confira o vídeo da Nasa, em inglês, que explica o eclipse lunar:

 

 

Esse conteúdo foi originalmente publicado no Portal EBC

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2014