Sugestão do Editor
Mundo

Google e Yahoo entre os que fundam pirataria, diz estudo

O logo do Google numa tela em 4 de dezembro de 2012 (Lionel Bonavanture/AFP/Getty Images)

Google e Yahoo estão entre os maiores apoiadores de websites que promovem conteúdo pirata, segundo um novo estudo que diz que os anúncios online dos dois gigantes da internet ajudam a financiar a pirataria.

Tanto o Google e o Yahoo, que foram classificados em segundo e sexto, respectivamente, pelo estudo do Laboratório de Inovação Annenberg (LIA) da Universidade da Califórnia do Sul (USC), têm apoiado medidas antipirataria para rebaixar tais resultados de pesquisa.

Pesquisadores da USC utilizaram o Relatório de Transparência do Google e descobriram que o Google e seus anúncios ‘Clique Duplo’ foram encontrados em muitos dos principais websites de pirataria do mundo.

Também foi citado outro estudo financiado pelo Google e pela ‘PRS for Music’, que descobriu que redes de anúncios financiam 86% dos websites de pesquisa “entre pares” (P2P) que incluem conteúdo pirata, incluindo música e filmes.

O estudo disse que grandes anunciantes “claramente [...] não estão conscientes de que são de fato a principal fonte de recursos para a indústria da pirataria”.

OpenX, de Pasadena na Califórnia, foi classificada em primeiro lugar no estudo.

O Google disse que, embora não tenha visto o estudo, nega que é um dos principais financiadores de websites piratas.

“Nos últimos anos, temos desempenhado um papel de liderança nessa luta, em parceria com organizações da indústria, para cortar o fluxo de dinheiro para websites de pirataria, bem como investido tempo e dinheiro significantes para afastar de nossa rede conteúdo que viole direitos autorais”, disse o Google ao E-Commerce Times.

“A complexidade da publicidade online tem levado alguns a concluir, erroneamente, que a mera presença de qualquer código do Google num website signifique apoio financeiro do Google.”

O Yahoo ainda não emitiu qualquer declaração à mídia sobre o estudo.

Chris Castle, um advogado baseado no Texas, disse ao Los Angeles Times que “se você olhar o IsoHunt agora [...] você verá publicidade das marcas mais importantes do mundo”. IsoHunt é um website “torrente” que apresenta conteúdo pirata, incluindo música , filmes, programas de televisão e jogos.

“Essas marcas estão apenas perpetuando as pessoas que roubam [dos artistas] e os fazendo ricos”, acrescentou Castle.

O estudo foi liderado por Jonathan Taplin, que chefia o LIA e espera que o estudo permita as empresas de publicidade tomarem decisões informadas sobre que websites deveriam figurar suas propagandas.

“Todos os músicos sabem [...] porque seus rendimentos caíram”, disse Taplin ao Los Angeles Times. “Todo mundo sabe que a pirataria destruiu o negócio da música.”

A lista dos 10 mais do estudo é a seguinte:

1. Openx
2. Google (incluindo Clique Duplo)
3. Exoclick
4. Sumotorrent
5. Propellerads
6. Yahoo (incluindo Right Media)
7. Quantcast
8. Media Shakers
9. Yesads
10. Infolinks

Epoch Times publica em 35 países em 20 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

O EpochTimes está presente em 35 países em 21 idiomas. Siga-nos no Facebook, Twitter, Google Plus, Pinterest, LinkedIn
Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.